Segunda-feira, 31 de Outubro de 2016

Semanas de 4 dias, porque sim

Esta semana tem 4 dias (de trabalho). E 3 dias de repouso.

A semana que vem, tem 4 dias de trabalho (e 3 dias de repouso, com fim de semana grande).

A semana que vem, eu só trabalho segunda (pois será o meu abençoado último dia de trabalho).

Vou pois ter um só dia de trabalho, 3 de repouso e 3 com os meus pirralhos, durante um fim de semana grande.

Isto sim vai ser festa!!

 

 

voado por Sem Asas às 08:10
link do post | voar | favorito
Terça-feira, 25 de Outubro de 2016

As minhas botas de chuva

Lindas que só elas, cá estão!!!

20161025_175935.jpg

 

 

voado por Sem Asas às 18:00
link do post | voar | favorito
Sexta-feira, 21 de Outubro de 2016

Ando tão cansada que nem sei do que queria falar...

A sério que uns tempos de férias me vão fazer bem.

Nem tenho a certeza que queira trabalhar entre o fim do meu contrato e o Natal.

Quase 2 meses de "férias", vamos ver no que isso vai dar. E no Natal vou passar uns tempos de férias no Norte de Portugal, com a família. Tão bom!!


O problema que é fui descendo cada vez mais no nível de cansaço. E consegues sempre ter alguma energia, consegues sempre fazer um sorriso e fazer parecer que está tudo bem.
Mas não, não está (a sério que não). E é quando começo a descansar um pouco que o meu corpo, a minha mente me dizem 'mais, mais, continua!!!'.


Aguentem minha gente. O 7 novembro está quase aí!

voado por Sem Asas às 10:14
link do post | voar | favorito
Quarta-feira, 19 de Outubro de 2016

os meus miúdos estão de férias...

... com o pai deles. O Thomas foi buscá-los à escola ao meio-dia (sim o começo oficial das férias de Outono em França começa ao meio-dia, no meio da semana. Coisa muito poética!)

 Eu fico por cá, a trabalhar, mas de férias.

Previsão, descanso, muito descanso!
Só que hoje... afinal vou ao cinema com amigas minhas, ver filme de gajas (Bridget Jones Baby). E vai ser tão fixe!!!!!

voado por Sem Asas às 17:36
link do post | voar | favorito
Sexta-feira, 14 de Outubro de 2016

Vamos la falar de outra coisa que o meu trabalho

Acordo com um barulho que não percebo. Num estado de meia-sonolência, reconheço o meu quarto, a luz que filtra através das persianas e da cortina. De repente, um flash e um estrondo.

Boa, tempestade! Adoro tempestades. Principalmente quando não tenho que sair e posso ouvir a chuva e vê-la sem me molhar. E é ainda melhor quando estou deitada.

E depois... o barulho de algo que esta a ser atirado contra a minha janela. Como... pedrinhas. Pedrinhas? Há granizo. Minha nossa...

O que vale é que isto eram 5h da manhã.

Portanto, volta a adormecer, na minha caminha quentinha, com o meu edredon bem fofinho. Tão bom.

voado por Sem Asas às 08:05
link do post | voar | favorito
Quinta-feira, 13 de Outubro de 2016

Explicações

Começo a dizer a pouco e pouco aos meus colegas de trabalho que me vou embora.


Ontem, foi a vez de um colega com quem me dou bem. No início ele não percebeu (vais sair porquê, vais ver um fornecedor ? vais partir em viagem de negócios?).
Quando lhe expliquei, ele ficou em estado de choque. Mas porquê ? E a tua segurança económica ? Já pensaste que tens 2 filhos para assumir ?

Ui. Ora bem, a segurança económica. Que segurança económica ? De ter um contrato ? Um salário fixo ? Upa upa.  o que recebo é um bom salário comparando aos salários portugueses,  certo. Mas sinceramente, aqui em França, não estou muito longe do salário mínimo nacional. Aquele que qualquer pessoa pode receber, que seja a limpar o chão ou a trabalhar na caixa do supermercado. Atenção, não estou aqui a denegrir estas profissões, se calhar daqui a menos de um ano estou a fazer isso mesmo.

Os meus filhos ? Claro que pensei nisso. A maior parte do tempo só penso nisso. Mas vejo a minha relação com eles se degradar em detrimento da sacro-santa  ‘‘segurança económica’’.  Sempre sem tempo, sem paciência, sempre a correr para fazer tudo o que há para fazer. Sem ter uma relação de qualidade.


E o que se passou aqui é que finalemente percebi que não vou nem quero  sacrificar a minha liberdade, a minha disponibilidade mental , a minha energia a trabalhar durante 8h por dia, a deixar os meus filhos na escola durante 10h por dia a serem educados por pessoas que eu nem conheço, a estar sempre a correr poque vá-se lá compreender uma mãe solteira tem que trabalhar para ganhar dinheiro mas ter tempo como alguém que não trabalha para tratar de tudo (ou seja, os dias das mães solteiras dura 36h mínimo. facto desconhecido. Matéria para outro post.)

Portanto tomei esta decisão. E ó minha gente, acreditem que hesitei durante imenso (demasiado ?) tempo, pesando bem os prós e os contras, metendo dinheiro de lado porque nunca se sabe, a aturar chefes por quem dou o litro sem reconhecimento. Hesitei imenso tempo a pensar que não valia a pena, que eu não valia a pena, que a vida é mesmo assim . Tanga.

Claro que sem tem de trabalhar. Correcção : claro que se tem de ganhar dinheiro nesta vida (isto dito, não vou mendigar nem viver debaixo da ponte).


Mas aos 34 anos de idade, acabei por perceber que não vou sacrificar a minha saúde, a minha vida, a minha relação com os meus filhos e minha relação com o François, por uma hipotética segurança económica. Ter um CDI não é o meu objectivo nesta vida. O meu objectivo é ser feliz. (e este meu trabalho actual esta a puxar-me noutra direcção).Não sou eu que tenho de fornecer um esforço suplementar para me sentir bem no meu trabalho, é o meu trabalho que não me corresponde. Portanto vou partir à descoberta, com uma mochila virtual às costas. E este sentimento desconhecido que me invade o peito ao pensar nisso, acho que é a felicidade !

voado por Sem Asas às 08:52
link do post | voar | ver voos (2) | favorito
Quarta-feira, 12 de Outubro de 2016

This is the end (not yet, but soon)

Falei aqui do meu estado em relação ao meu trabalho.

Para quem não sabe, eu sou expatriada em França, numa cidade perto de Marselha. Sou secretária de direcção numa empresa de cerca de 30 pessoas que trabalha num domínio da tecnologia de ponta.

O problema é que não me sinto reconhecida no meu trabalho. Mesmo se o trabalho em si mesmo não seja facilmente reconhecível (só se repara quando está mal feito), poderia ter o reconhecimento do meu chefe e das pessoas com quem trabalho directemente, mas isso não corresponde à realidade.

É algo que está ligado ao trabalho no domínio do secratariado? Será sempre assim, portanto mais vale ficar onde estou?

Não sei. Sei que tenho capacidades e conhecimentos que posso pôr ao proveito de uma empresa.

Se esta onde estou não me reconhece... então passo à proxima. Sem medos. Sim eu sei que a economia está difícil. Que é difícil encontrar um trabalho onde sejamos felizes? Não sei se a relação é assim tão directa, como comentou Moralez no meu primeiro post. Mas vou partir à descoberta!

O meu último dia de trabalho neste empresa será dentro de 19 dias exactemente. Can't wait!!!

 

voado por Sem Asas às 08:24
link do post | voar | favorito
Sábado, 8 de Outubro de 2016

sábado desgraçado

20161008_170808.jpg

Mas pelo menos consegui fazer isto ('isto' é a capa do sofá, com costuras feitas como deve ser!). A minha casinha começa a estar linda e a parecer-se comigo. Tão, mas tão bom!!

voado por Sem Asas às 17:55
link do post | voar | favorito
Segunda-feira, 3 de Outubro de 2016

Say something

 

Esta música, as imagens, as palavras. Adoro.

Não tem nada a ver com a minha vida sentimental neste momento (e ainda bem), mas já passei por aí.
E cada vez que ouço a música (que está na minha playlist), há uma lágrima rebele que aparece. Ora bolas.

 

 

voado por Sem Asas às 08:18
link do post | voar | favorito

*Agosto 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

*links

*divagações recentes

* to sleep all the night...

* Tombos

* Do tempo passado na cozin...

* parvoíces da minha adoles...

* Hoje sonhei contigo

* FERIAS!!!!!!!

* 30 Ways To Learn To Love ...

* o fim do ano lectivo está...

* Aujourd'hui, je me fous l...

* Futebol, Festival e Fatim...

* e é assim, que no meio do...

* este blog, como a sua mag...

* o ritual da manhã

* Não devia ter feito isto,...

* De férias, de novo

* "Às vezes o amor não acab...

* Sonho

* "O lado triste de quando ...

* Dos milagres caseiros

* Curtas mas boas - Nelson ...

*divagações arquivadas

* Agosto 2017

* Julho 2017

* Junho 2017

* Maio 2017

* Abril 2017

* Março 2017

* Fevereiro 2017

* Janeiro 2017

* Dezembro 2016

* Novembro 2016

* Outubro 2016

* Setembro 2016

* Agosto 2016

* Julho 2016

* Junho 2016

* Maio 2016

* Março 2013

* Fevereiro 2013

* Novembro 2012

* Outubro 2012

* Agosto 2012

* Julho 2012

* Junho 2012

* Janeiro 2011

* Setembro 2009

* Agosto 2009

* Julho 2009

* Junho 2009

* Maio 2009

* Março 2009

* Fevereiro 2009

* Janeiro 2009

* Dezembro 2008

* Novembro 2008

* Outubro 2008

* Setembro 2008

* Agosto 2008

* Julho 2008

* Junho 2008

* Maio 2008

* Abril 2008

* Março 2008

* Fevereiro 2008

* Janeiro 2008

* Dezembro 2007

* Novembro 2007

* Outubro 2007

* Setembro 2007

* Julho 2007

* Junho 2007

* Abril 2007

* Março 2007

* Fevereiro 2007

* Janeiro 2007

* Dezembro 2006

* Novembro 2006

* Outubro 2006

* Setembro 2006

* Julho 2006

* Junho 2006

* Maio 2006

* Abril 2006

* Março 2006

* Fevereiro 2006

* Janeiro 2006

*pesquisar

 
blogs SAPO

*subscrever feeds