Segunda-feira, 27 de Fevereiro de 2006

...


"Tu as inventé une chose merveilleuse tout à l'heure, sans même t'en rendre compte.
En passant devant mon arche tu m'as souri. Un peu plus tard, ce détective qui vient souvent déjeuner par ici est passé en voiture, il m'a regardé avec son éternel air bougon. Nos regards se sont croisés, je lui ai confié ton sourire, et quand il est reparti je l'ai vu, il le portait sur ses lèvres. Alors, avec un peu d'espoir, il l'aura transmit à celui ou celle qu'il allait voir. Tu réalises maintenant ce que tu as fait? Tu as inventé une sorte de vaccin contre l'instant de mal-être. Si tout le monde faisait cela, rien qu'une seule fois par jour, donner juste une sourire, imagines-tu l'incroyable contagiation de bonheur qui filerait sur la terre?"

                                                                              Marc Levy, in Sept Jours pour une eternité...

PS - quem quiser a tradução, sairá brevemente :)

voado por Sem Asas às 15:42
link do post | voar | favorito
Terça-feira, 21 de Fevereiro de 2006

É assim às vezes

            

Anjo.jpg


 
Desculpem mas é assim que me sinto ultimamente... Sem asas, sem inspiração, sem grande motivação para escrever. É uma fase e passará como qualquer outra fase. Depois, regressarei em grande! :) Um grande bem-haja aos meus leitores (e aqueles que cá vieram parar por acaso).

 

voado por Sem Asas às 17:10
link do post | voar | favorito
Segunda-feira, 13 de Fevereiro de 2006

Reflexões...


É bom fazer uma reflexão diária. Eu gosto de a fazer pela manhã, pôr cada coisa no seu lugar e preparar o dia que nasce. Como diz R. Sharma no seu livro O Santo, o surfista e a Executiva, façam a vós mesmos as peguntas matinais, reflictam seriamente sobre as respostas. Experimentem, e talvez o vosso dia se torne mais especial...

- Como é que eu viveria este dia, se eu soubesse que era o último?

- Que tenho eu a agradecer na minha vida?

- O que eu posso fazer, hoje, para tornar a minha vida extraordinária?

- O que posso fazer, hoje, que seja incrivelmente divertida?

- Como posso ajudar alguém hoje?

voado por Sem Asas às 09:36
link do post | voar | favorito
Quinta-feira, 9 de Fevereiro de 2006

Elogios


 
                            

smile.jpg

É sempre bom quando alguém nos elogia, mesmo que seja um desconhecido na rua... Seja porque esse alguém se sente atraído por nós, seja por uma qualidade que evidenciamos a dada altura.

Porque estou a escrever isto? Porque quero partilhar convosco uma reflexão: se nos sentimos bem por um desconhecido dizer que nos aprecia, que dizer então quando são os nossos amigos a elogiar-nos? E se isso acontece, porque não elogiar os outros quando achamos que é merecido? Conseguimos duas coisas com isso:

- um sorriso sincero da parte da pessoa amiga

- um sorriso para nós mesmos porque fizemos alguém sorrir...

É um bom sentimento.

voado por Sem Asas às 09:54
link do post | voar | favorito
Quarta-feira, 8 de Fevereiro de 2006

A história que dura o tempo de uma viagem de metro (ou a história de passar por cima das regras)

Mais uma viagem chata... por duas razões óbvias: tinha perdido estupidamente o autocarro (e agora tinha que ir de metro, que era muito mais demorado) e não se lembrara, ao sair de casa, de trazer um livro para se distrair.


Enquanto pensava nisso, um rapaz sentou-se à sua frente. Sem muito interesse olhou para ele. Era um turista (bastava ver o mapa de Lisboa que trazia na mão para o confirmar!), magro e com o cabelo todo despenteado, de calças bastante gastas e ténis sujos de percorrer a cidade, transportando uma mochila bastante usada. Mas os olhos... os olhos eram de tirar o fôlego! Azuis como o céu, lindos, brilhando numa cara que, tal como os olhos, era difícil esquecer. Até a barba de dois dias lhe ficava bem!

Consciente que já estava a olhar há demasiado tempo, sentou-se mais direita no banco e concentrou-se em olhar para a estação que passava do lado de fora da janela. De que interessa conhecer uma pessoa se depois não a via nunca mais? O facto era que gostara do que vira, mas era só isso. Só podia ser isso e nada mais.

Mas quando o metro entrou no túnel, deu por si a olhar para o reflexo dele, era impossível escapar... e ele estava também a olhar para ela. Sentiu um nervosismo na barriga como não sentia já há muito tempo. Finalmente, aceitou as regras do jogo e este começou: a troca de olhares, o fingir que o outro não está a perceber o que se passa, o gosto de olhar para a outra pessoa porque nos sentimos realmente atraídos por ela. Este jogo desenrolava-se sob os olhares indiferentes daqueles que seguiam com eles no metro, àquela hora da tarde.

É uma sensação deliciosa a que este jogo deixa, é como se as almas comunicassem através dos olhares, e assim tomam o seu alimento que é a pura beleza. É algo puro, sublime, que não necessita de gestos ou palavras. E neste enlevo, nem um nem outro dá pelo tempo passar (sem contar com o desejo latente que o outro não saia na próxima paragem). Olha-se de viés para confirmar que cada um quer que a viagem dure para sempre.

Mas o tempo passou e o metro avançou até que finalmente ela chegou à estação onde devia sair. E chegando ao fim desta viagem, ganhou coragem e quando se levantou parou à frente dele. Tocando suavemente com as duas mãos no rosto dele, fê-lo olhar para ela, intensamente e um pouco confuso… então e as regras do jogo?

E nesse instante, ela baixou a cabeça e deu-lhe um beijo nos lábios. Tão puro como o sentimento que o unia agora a ele. E num doce sussurro, que só ele conseguiu ouvir, disse-lhe: "És belo e eu amo-te."

Dito isto, voltou-lhe as costas e saiu, saboreando ainda o sabor dos lábios dele e sabendo que nunca mais o veria na sua vida.

voado por Sem Asas às 16:32
link do post | voar | favorito
Terça-feira, 7 de Fevereiro de 2006

Cordelinhos e afins...

 

marioneta.jpg

As conveniências sociais foram inventadas para aqueles que não sabem pensar por si mesmos e ser verdadeiros. Se uma pessoa for "bem-formada" não existe razão para seguir regras pré-estabelecidas sem pensar nelas. Se devemos pensar antes de agir, isso também se aplica na relação com os outros! Se recebemos uma prenda, sentimo-nos na obrigação de ir a correr comprar algo, só para compensar. Das duas, uma: ou queremos realmente oferecer algo com significado (e isso não se compra em 20 minutos) ou estamos simplesmente a ser hipócritas!

Que tal cortar os cordelinhos que alguém lá atrás segura obrigando-nos a agir de certa maneira e começarmos a pensar por nós próprios??

 

voado por Sem Asas às 09:11
link do post | voar | favorito
Segunda-feira, 6 de Fevereiro de 2006

Fear of falling

 

10sandman.jpg

"It's sometimes a mistake to climb, it is always a mistake never even to make the attempt. If you do not climb, you will not fail. This is true. But is it that bad to fail, that hard to fall?

Sometimes you wake up. Sometimes the fall kills you. And sometimes, when you fall... you fly."                                                                       

                                                                                   Neil Gaiman, in The Sandman

Como sabes então o que vai acontecer? Não sabes. Tens de confiar no Sonho. Fugir só será pior...

voado por Sem Asas às 10:13
link do post | voar | favorito

Direito de chorar

Hoje não quero sorrir.
(Tenho direito a isso)
Hoje quero chorar, dizer a todos que me dói o coração, a alma, o ego.
Hoje quero gritar bem alto para que todos saibam isso, como uma criança birrenta.
E, tal como uma criança, depois de gritar, e espernear, e chorar à vontade,
distraio-me com uma raio de sol
e como uma criança, volto a sorrir...

 

voado por Sem Asas às 10:04
link do post | voar | favorito
Sexta-feira, 3 de Fevereiro de 2006

O pôr-do-dol

O sol desce uma vez mais em direcção à terra, pondo-se por detrás dos prédios altos. Diverte-se a pintar do céu em tons rosa, passando pelo laranja e amarelo suave, misturado com o azul e o cinzento das nuvens. O espectáculo de luz e cor prende o meu olhar, e eu liberto-me por uns instantes para contemplá-lo. Este é um daqueles momentos que valem a pena viver... A cidade continua, apressada para chegar a casa, fazer o jantar, decansar um pouco para ir amanhã para outro dia de trabalho. Eu por mim, ligo o rádio do carro o aproveito o momento que passa...

voado por Sem Asas às 20:05
link do post | voar | favorito

A viagem


Cansada, ela encosta a cabeça ao vidro da janela, fecha os olhos e acaba por adormecer. Não repara que o rapaz sentado à sua frente a observa, fascinado. De vez em quando, o seu olhar desvia-se para a paisagem que passa a correr, mas volta sempre à apreciação dos traços delicados do rosto dela, à observação das suas mãos (lindas!) pousadas em cima da mala, da sua maneira bonita mas discreta de vestir.
Quando chegam ao fim da linha, ela acorda e abre os olhos. Ele olha uma vez mais para ela e decide-se:
- Olha... não me estou a tentar meter contigo. Mas quero só dizer... que ficas linda quando estás a dormir.

Ela olha surpreendida para ele, sem saber o que dizer. Mas ele não lhe dá oportunidade, levante-se e sai do comboio, sem reparar no sorriso que nasce nos lábios da rapariga...

 

voado por Sem Asas às 09:44
link do post | voar | favorito
Quinta-feira, 2 de Fevereiro de 2006

Ver o mundo de cima

Ver o mundo de cima é um óptimo exercício (atenção: muito diferente de olhar superiormente para os outros e julgá-los inferiores!!). Mas quando achamos que a nossa vida se está a tornar sufocante, é bom saber subir, olhar para baixo e ver que os nossos problemas estão pequeninos, mesquinhos, enquanto ali no alto o sol brilha e quem tem asas consegue voar.

É bom fazer isto de vez em quando... põe as coisas em perspectiva.

voado por Sem Asas às 14:04
link do post | voar | favorito

*Hora de Paris

*Agosto 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

*links

*divagações recentes

* to sleep all the night...

* Tombos

* Do tempo passado na cozin...

* parvoíces da minha adoles...

* Hoje sonhei contigo

* FERIAS!!!!!!!

* 30 Ways To Learn To Love ...

* o fim do ano lectivo está...

* Aujourd'hui, je me fous l...

* Futebol, Festival e Fatim...

* e é assim, que no meio do...

* este blog, como a sua mag...

* o ritual da manhã

* Não devia ter feito isto,...

* De férias, de novo

* "Às vezes o amor não acab...

* Sonho

* "O lado triste de quando ...

* Dos milagres caseiros

* Curtas mas boas - Nelson ...

*divagações arquivadas

* Agosto 2017

* Julho 2017

* Junho 2017

* Maio 2017

* Abril 2017

* Março 2017

* Fevereiro 2017

* Janeiro 2017

* Dezembro 2016

* Novembro 2016

* Outubro 2016

* Setembro 2016

* Agosto 2016

* Julho 2016

* Junho 2016

* Maio 2016

* Março 2013

* Fevereiro 2013

* Novembro 2012

* Outubro 2012

* Agosto 2012

* Julho 2012

* Junho 2012

* Janeiro 2011

* Setembro 2009

* Agosto 2009

* Julho 2009

* Junho 2009

* Maio 2009

* Março 2009

* Fevereiro 2009

* Janeiro 2009

* Dezembro 2008

* Novembro 2008

* Outubro 2008

* Setembro 2008

* Agosto 2008

* Julho 2008

* Junho 2008

* Maio 2008

* Abril 2008

* Março 2008

* Fevereiro 2008

* Janeiro 2008

* Dezembro 2007

* Novembro 2007

* Outubro 2007

* Setembro 2007

* Julho 2007

* Junho 2007

* Abril 2007

* Março 2007

* Fevereiro 2007

* Janeiro 2007

* Dezembro 2006

* Novembro 2006

* Outubro 2006

* Setembro 2006

* Julho 2006

* Junho 2006

* Maio 2006

* Abril 2006

* Março 2006

* Fevereiro 2006

* Janeiro 2006

*pesquisar

 
blogs SAPO

*subscrever feeds