Sexta-feira, 9 de Junho de 2017

o fim do ano lectivo está quase aí

é o ultimo sprint, o ano lectivo está quase quase a acabar. E com este fim, vem a auto-avaliação (a minha). Como correu este ano para mim ? que fiz eu de bem ? e de mal ? o que posso melhorar ? e mais importante ainda, quero eu continuar ? Fiz alguns - muitos ? - erros, e só espero não ter dado cabo do gosto da Matemática das miúdas que passaram pelas minhas mãos. Espero mesmo ter dado gosto à coisa às minhas alunas, e penso que sim. A partir daqui, é continuar, de cabeça erguida e o meu amor pela Matemática intacto, aprendendo dos erros cometidos e melhorando-me!!

voado por Sem Asas às 09:48
link do post | voar | favorito
Quarta-feira, 17 de Maio de 2017

Aujourd'hui, je me fous la paix

Parfois la pression monte, monte sans paraître avoir une limite. Et moi, je subis et subis... aveuglement, en me bornant et me disant que ce n'est possible que comme ça.

Non.

C'est en larmes et avec un mal de crâne - et avec 28 contrôles encore à corriger, que je décide enfin, de me foutre la paix. Zen.

voado por Sem Asas às 09:14
link do post | voar | favorito
Domingo, 14 de Maio de 2017

Futebol, Festival e Fatima

Portugal esta no spot este fim de semana.

Entre o Papa Francisco de visita a Fatima, o Benfica que é campeão - de novo - e termos ganho pele primeira vez o Festival da Canção... eu ca por mim o meu coração esta em festa!!

ADORO a musica do Salvador Sobral. é mesmo espectacular e não tem nada a ver com as musicas que têm ganhado o Festival.

Ora aqui esta para quelm quiser ouvir esta beleza:

 

 

voado por Sem Asas às 08:52
link do post | voar | favorito
Quinta-feira, 11 de Maio de 2017

e é assim, que no meio do desespero em que eu estava, vi isto

20170511_202904.jpg

 pronto. é coisa de por tudo de volta à perspectiva necessaria!

voado por Sem Asas às 19:42
link do post | voar | favorito
Sexta-feira, 28 de Abril de 2017

este blog, como a sua magnífica dona, vai passar a ter dupla nacionalidade

Pois é, já estou em França há quase 10 anos (nossa!!!)

Decidi pedir a nacionalidade francesa, já que sendo portuguesa posso ter as duas ao mesmo tempo.

Sim, França e Portugal são tu cá, tu lá, mesmo depois do resultado do euro 2016.

 

Recebi a cartinha logo antes das eleições que me dizia que depois de muitas peripécias, tinha obtido a nacionalidade!!

Este meu blog é como eu, e portanto, aqui estou eu a decidir que sim senhor, o meu blog tem a mesma nacionalidade que eu, isto é luso-francesa (nossa, o quanto eu gosto destas palavras!)

 

 

Portanto, por cá haverá posts em português e em francês, depende de como me der na telha. E de quando em quando, haverá quiça, posts em inglês, ou em italiano - língua que eu ando a aprender. Muito internacional!!

voado por Sem Asas às 13:46
link do post | voar | favorito
Quinta-feira, 27 de Abril de 2017

o ritual da manhã

Esta manhã, como tento fazer a cada manhã, estava tranquila na minha varanda, a beber a minha taça de agua quente, quando me deu vontade de cantar.

Como é o meu momento para mim, claro que cantei.

Ee foi ai, que a meio do meu cantico -magnifico - que dei com o meu vizinho que me espiava do canto do olho.

quero lá saber, continuei.

Ele, para bem acordar e começar o seu dia, estava a fumar um cigarro.

 

Moral da história: cada um sabe de si mesmo e do que lhe convém!

voado por Sem Asas às 07:32
link do post | voar | ver voos (1) | favorito
Terça-feira, 25 de Abril de 2017

Não devia ter feito isto, mas até que foi engraçado

Hoje, tive um teste com a minha classe de 9° ano.

Isto quer dizer que tive duas horas inteirinhas sem nada para fazer, a não ser estar atenta para ver se se as minhas alunas não copiavam.

 

 

A ideia de ver 'The Meaning of Life' dos Monty Python antes de ir trabalhar, deixa-me perplexa.

é que tive a musica 'every sperm is sacred' na minha cabeça durante o tempo que durou o teste. duas horas portanto.

'tá bonito!

 

(adenda, para o deleite das vossas orelhas. e para não ter paz de espirito durante algum tempo.)

voado por Sem Asas às 20:06
link do post | voar | favorito
Segunda-feira, 17 de Abril de 2017

De férias, de novo

Férias é coisa para lá de espectacular. é tempo de ver amigos, fazer as coisas que mais gostamos, estar com quem mais gostamos. Descobrir novos lugares , novos paladares e novos prazeres. Ou voltar às raizes, a um dos lugares que te viu crescer e perceber que afinal, tudo correu bem. Tudo o que aconteceu, os desafios, as catástrofes, as amizades criadas e os encontros feitos, tudo por uma razão e um sentido. E perceber que a felicidade, aquela que é tão verdadeira que só existe dentro de ti, sempre ali esteve e estará. não depende de ninguém, da situação, do lugar onde estás. Só de ti.

voado por Sem Asas às 20:26
link do post | voar | favorito
Domingo, 9 de Abril de 2017

"Às vezes o amor não acaba, mas a paciência chega ao fim" - by Marcel Camargo

Encontrei este texto num dos meus devaneios pela net e é tão verdade que me arrepia e só me apetece partilhar aqui. Até poderia ter escrito este texto eu mesma, num dia de inspiração e com muito tempo nas mãos (e litros de lagrimas), mas Marcel Cardoso adiantou-se-me.  Ora entao aqui vai:

 

‘’Encontrar o amor não é assim tão dificil, se comparado à árdua tarefa que consiste em mantermos acesa a chama afectiva que nos mantém junto de quem amamos. Após encontrarmos o nosso amor, existe um longo caminho a ser percorrido, para que os sentimentos se fortaleçam e tornem a jornada conjunta repleta de cumplicidade e admiração mútua.

As pessoas vêm de universos diferentes, passaram por vivências próprias, sobreviveram a tempestades únicas e, de repente, precisam confrontar tudo o que são com alguém de fora, precisam tentar harmonizar perspectivas na maioria das vezes dissonantes e distantes, em favor da necessidade de amarem e serem amadas. A paixão chega, arrebata e lança-nos ao encontro de um outro mundo, no qual mergulharemos às cegas, a fim de saciarmos a fome de amor que é tão nossa.

A convivência diária não é fácil, uma vez que o tempo nos mostra e nos desnuda em tudo o que somos, da mesma forma que nos traz as verdades acerca de quem está ali ao nosso lado, mesmo aquelas verdades que nos incomodam. Infelizmente, poucos são os que estão dispostos a arriscar, a sair da sua zona de conforto, a refletir sobre o que eles mesmos e os outros têm feito da vida de modo a poder melhorá-la.

Quem não está disposto a entregar-se totalmente ao outro, tal como o amor requer, acabará fatalmente por dedicar ao outro o mínimo de si mesmo, condenando-o a um vazio solitário provocado por uma presença incompleta. Quem não se entrega totalmente ao amor não abrirá mão de nada, não ouvirá os sussuros da pessoa que se encontra ali ao lado, não olhará fundo nos seus olhos, não sentirá as acelerações do coração que pulsa ali pertinho, não responderá aos desejos, não tocará a pele, não dará enfim, a devida importância a quem esteve sempre a seu lado.

E ninguém há-de suportar indefinidamente o desprezo, a indiferença, a agressividade silenciosa e a companhia vazia de quem um dia lhe prometera amar pelo resto da vida. O amor não aceita falta de respeito, não sobrevive de passado, muito menos se alimenta de esperanças unilaterais e de correspondência nula. Só amor, somente amar, apenas as lembranças daquilo que um dia já foi mas agora não é mais, nada disso será capaz de manter duas pessoas juntas. Porque o amor é paciente, sim, mas tem o limite exato da dignidade que nos sobra ao fim do dia. Nada mais do que isso.’’

Texto de Marcel Camargo

Tirado daqui 

voado por Sem Asas às 18:14
link do post | voar | favorito
Domingo, 2 de Abril de 2017

Sonho

Flutuo docemente ao som da música que está no ar, bato as asas e percebo que sou um pássaro, voo pelos ares, tenho uma visão linda de todo o jardim encantado… vejo o rio lá em baixo que corre enquanto murmura baixinho histórias de encantar; aproximo-me suavemente e dou um mergulho na água! Sou um golfinho, nado e salto como quem dança, sempre ao som dessa música que agora está na água, que viaja nos raios de sol que aquecem e iluminam, que está nas estrelas que brilham de noite. Salto e brinco, sigo a corrente do rio que me leva até ao mar. Mais um salto e agora apetece-me voar! Sou uma borboleta, vejo-me reflectida na água enquanto voo pelo céu, cumprimento as nuvens, as flores e os frutos. Bato as asas brilhantes e olho para baixo. Uma mulher dá à luz uma criança que abre os olhos e ri em vez de chorar – é um mundo maravilhoso que a acolhe… eu sou essa criança! Sinto o prazer e o conforto do seio da minha mãe, sei que ela me ama e esse amor é tudo para mim no mundo! Cresço, começo a andar e encontro umas escadas. Lá em cima está o meu Mestre que me chama e me dá a certeza de ser amparada. Quero subir as escadas, quero ir ter com Ele. “Espero por ti, minha filha.” Então aí percebo que consigo subir, degrau a degrau… mas as escadas começam a aumentar cada vez mais. Não faz mal, eu sei que Ele está lá em cima, à espera, sempre à espera. Vou subindo, umas vezes mais rápida, outras vezes mais lenta! Subtilmente, as escadas vão alargando e todos s meus amigos estão lá também, a subir as escadas. Sento-me num degrau e penso “Quem sou?” Será importante? O importante, decido, é continuar a subir… por isso levanto-me… e continuo.

voado por Sem Asas às 10:01
link do post | voar | favorito
Sexta-feira, 31 de Março de 2017

"O lado triste de quando emigras e ninguém te diz" - by Sofia de Sousa e Silva



"Quando és inicialmente confrontado com a ideia de emigrar, das duas uma: ou sabes que é temporário e que eventualmente voltas para o teu País ou então vais com a ideia de “vamos ver no que dá”, sabendo perfeitamente que a possibilidade de te instalares permanentemente no estrangeiro é real.

 

A forma como estas duas possibilidades são abordadas tem um grande peso na forma como te relacionas com os teus amigos. Não digo família, porque tradicionalmente nós Portugueses somos bastante chegados à família e isto não acontece.

 

No meu caso, emigrei com a segunda ideia mencionada acima. Vim para Inglaterra sabendo perfeitamente que a ideia de regressar a Portugal era bastante diminuta. No inicio foi complicado, admito. As saudades de casa e da comida custavam mas acima de tudo fazia-me falta o conforto psicológico que é saber que estava na minha zona de conforto.

 

 

Perdi tudo isso a partir do momento em que o avião descolou. Deixei de pertencer a Portugal mas na verdade também não pertencia a Inglaterra. Fiquei quase como órfã e não consigo evitar sentir-me assim mesmo que pouca gente o compreenda.

 

A realidade inicial era que os meus amigos metiam posts no meu Facebook, comentavam as minhas fotos a dizer que tinham saudades e para eu voltar; quando eu ia a Lisboa faziam questão de me ver e as conversas mantinham-se inalteradas.

 

Depois, sem eu perceber muito bem como, tudo isso mudou. Os comentários nas fotos passaram a ser apenas um Like ocasional, as mensagens passaram a ser recebidas com semanas de intervalo.

 

Quando emigras apercebes-te que começas a perder aniversários, baby showers e nascimentos mas vês tudo isso acontecer através do écran de um computador. Perdes casamentos porque um convite nunca chegou. Porque naquele momento, a tua amizade já não é importante nem forte o suficiente para festejar um evento que (supostamente) acontece uma vez na vida. É-te dito que foi preciso fazer escolhas e tu manténs a postura mas por dentro ficas na merda porque sabes que se fosse ao contrário, nao haveria sequer escolha possivel sobre a presença de A ou B.

 

Não passas duma memória distante prestes a desaparecer da mente daqueles em quem tu ainda pensas quase diariamente. Porque afinal, foste tu que te foste embora.

 

Tu continuas num País que nao é o teu. O teu coração mantém-se em Lisboa e em Lisboa, a vida continua sem ti.

 

Os teus amigos continuam a fazer jantaradas e almoçaradas, continuam com o dia a dia e com planos para o fim de semana, vida essa da qual tu já nao fazes parte. Continuas a testemunhar as amizades que se mantêm e começas a observar que há pessoas novas nessas fotos que tu não sabes quem é nem nunca ouviste falar.

 

Quando finalmente, sim FINALMENTE estás de férias e sentes que finalmente vais poder respirar de novo porque estás em casa, fazes de tudo para estar com os teus amigos e mostrar que a amizade se mantem. Tens coisas que queres partilhar e queres saber as novidades. Entristece-te quando eles pouco ou nada tentam porque o diariamente continua e é complicado planear coisas com 3 ou 4 meses de antecedência.

 

Mas tu precisas desses 3 ou 4 meses meses para conseguires um voo com um preço mais acessível e porque precisas marcar ferias no trabalho. Gostavas de um pouco mais de compreensão mas ao final do dia foste tu que te foste embora.

 

Vai chegar o dia em que as mensagens que já tão raramente acontecem, vão cessar.

 

Vai chegar o dia em que vais estar de férias mas tu própria já não vais enviar mensagens de grupo a avisar que estás por perto e que adoravas ver aquelas pessoas que fazem o teu coração ficar quentinho. Porque mais uma rejeição daqueles com quem cresceste vai doer e já custa a dor que sentes diariamente num País que não é teu.

 

Vai chegar o dia em que tu há muito que és uma memória distante e que vais ter que aceitar a nova realidade em que te encontras.

 

Vai chegar o dia em que vais ter que aceitar que és de nacionalidade e criação Portuguesa mas que a cada dia que passa começas a ser menos e menos uma emigrante e cada vez te misturas mais com a cultura Britânica. O sotaque já não soa Americano porque aprendeste Inglês a ver filmes; pedes desculpa e obrigada 40 vezes por dia. Sabes que definitivamente algo mudou em ti quando ficas solenemente irritada com a falta de cortesia de algumas pessoas em situações mundanas como a ausência de um acenar de mão quando cedes passagem.

 

Vai chegar o dia em que aqueles com quem cresceste vão ser uma memória distante porque para atenuar a dor e não largares tudo aquilo que tanto lutaste num País que não é teu, não tens escolha.

 

E para deixares de te sentir órfão, tens que fazer uma escolha. E a escolha apesar de difícil, e aquela que te vai manter no rumo que escolheste para ti, para a tua vida e para os teus. Se estás no mesmo barco que eu, força! Porque para a frente é que é caminho."

 

Texto escrito por Sofia de Sousa e Silva, autora do blog Letters from Bristol (tirado daqui ) Eu não teria escrito melhor!!


voado por Sem Asas às 08:08
link do post | voar | favorito
Quarta-feira, 29 de Março de 2017

Dos milagres caseiros

Juro pela minha alma: não sabia o aspecto do fundo do meu cesto de roupa suja. Ou então, já há mesmo muito tempo que não o via, e esqueci como era.

Mas a verdade é que esta manhã, ao meter a roupa na máquina para lavar mais uma carga de roupa - felizmente faz calor e a roupa seca depressa - vi que de facto, o cesto ficou vazio. Nem uma meia solitária para amostra. Milagre que não se registou imediatamente dado o estado de cansaço em que ando.

Juro pela minha alma: o meu cesto de roupa suja é um cesto de verga de cor escura, e no fundo esta escrito a palavra 'CURVER'. A sério.

Por outro lado, é milagre passageiro, porque sei que hoje à noite já vai haver roupa suja no cesto. Principalmente dos meus pirralhos, que pensam que roupa é coisa de uso único e hop, volta ao ciclo de lavagem.

Juro (pela minha alma), não sei como consegui, mas tenho a impressão que devo ter esquecido de fazer uma outra tarefa caseira - ou não teria chegado ao fundo do cesto.

Ah espera, sim já estou a ver... há papéis para arrumar, facturas a classificar - o IRS não está longe, não; aspirador a passar na casa toda e esfregona logo após, loiça para lavar, cursos de Matematica a preparar... e o cansaço que se faz sentir. Mas é bom saber que milagres - dos caseiros, não os outros - podem acontecer de quando em quando.

voado por Sem Asas às 11:52
link do post | voar | favorito
Segunda-feira, 20 de Março de 2017

Curtas mas boas - Nelson Mandela

 

"Uma das melhores formas do optimismo é guardar a cabeça erguida em direcção do Sol e manter os pés em movimento."

(tradução livre par moi-même)

 

Escrito, ao que parece, por Nelson Mandela. Muito bom.

voado por Sem Asas às 20:37
link do post | voar | favorito
Quinta-feira, 16 de Março de 2017

Destaques

Isto de ver que tive um destaque nos blogs do sapo há exactamente 3 semanas é obra.

No sentido em que como só venho ao blog quando me dá na telha - felizmente que ainda é coisa algo regular - só vi esta boa notícia agora. Olha-me qu'isto (como dizia a minha avó). Enfim, queria agradecer o destaque (que explica o numero de visitantes há qualquer coisa como 3 semanas), se é merecido ou não, é outra historia.

Um grande bem haja a todos os que me lêem e para a equipa do sapo!

voado por Sem Asas às 08:35
link do post | voar | favorito
Quarta-feira, 15 de Março de 2017

Curiosidades

Esta manhã decidi limpar o frigorífico.

Isto quer dizer que reparei nas 2 garrafas que estão na porta do dito frigorífico, garrafas estas com bebidas alcoólicas lá dentro.

Decidi que não quero mais - afinal tira espaço para as garrafas de leite e de sumo de fruta que tenho a dar com um pau.

Então decidi que para que as ditas garrafas deixarem de ocupar espaço, tinha que as acabar. Ora bem, que rica ideia, sim senhor.



Aqui estou eu, uma meia garrafa de muscatel e uma outra de champanhe depois, bêbada às 10h da manhã e a pensar que tenho de ir dar aulas dentro de 1h. Tá bonito sim senhor!

(temo pelas minhas alunas, visto o tempo que me levou para escrever este post)

voado por Sem Asas às 09:37
link do post | voar | favorito

*Hora de Paris

*Junho 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

*links

*divagações recentes

* o fim do ano lectivo está...

* Aujourd'hui, je me fous l...

* Futebol, Festival e Fatim...

* e é assim, que no meio do...

* este blog, como a sua mag...

* o ritual da manhã

* Não devia ter feito isto,...

* De férias, de novo

* "Às vezes o amor não acab...

* Sonho

* "O lado triste de quando ...

* Dos milagres caseiros

* Curtas mas boas - Nelson ...

* Destaques

* Curiosidades

* Isto de viver no Sul de F...

* As férias !

* Do amor entre irmãos

* Curtas mas boas - dívida ...

* A questão do dia!

*divagações arquivadas

* Junho 2017

* Maio 2017

* Abril 2017

* Março 2017

* Fevereiro 2017

* Janeiro 2017

* Dezembro 2016

* Novembro 2016

* Outubro 2016

* Setembro 2016

* Agosto 2016

* Julho 2016

* Junho 2016

* Maio 2016

* Março 2013

* Fevereiro 2013

* Novembro 2012

* Outubro 2012

* Agosto 2012

* Julho 2012

* Junho 2012

* Janeiro 2011

* Setembro 2009

* Agosto 2009

* Julho 2009

* Junho 2009

* Maio 2009

* Março 2009

* Fevereiro 2009

* Janeiro 2009

* Dezembro 2008

* Novembro 2008

* Outubro 2008

* Setembro 2008

* Agosto 2008

* Julho 2008

* Junho 2008

* Maio 2008

* Abril 2008

* Março 2008

* Fevereiro 2008

* Janeiro 2008

* Dezembro 2007

* Novembro 2007

* Outubro 2007

* Setembro 2007

* Julho 2007

* Junho 2007

* Abril 2007

* Março 2007

* Fevereiro 2007

* Janeiro 2007

* Dezembro 2006

* Novembro 2006

* Outubro 2006

* Setembro 2006

* Julho 2006

* Junho 2006

* Maio 2006

* Abril 2006

* Março 2006

* Fevereiro 2006

* Janeiro 2006

*pesquisar

 
blogs SAPO

*subscrever feeds